quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Vicky Cristina Barcelona... Juan e Maria?!




Vicky Cristina Barcelona, o novo filme de Woody Allen, prendeu!
Eis os meus (imediatos, mas foscos perante a obra global) argumentos!

Um filme sobre duas turistas norte americanas (Scarlet Johansson e Rebecca Hall) e dois artistas espanhóis (Javier Bardem e Penélope Cruz), que se envolvem durante umas férias de dois meses em Espanha...quase eternos, pois que se prolongam para lá do tempo, em novas descobertas e emoções. Sentimentos confusos, fortes, impulsivos e esmagadores!

Um filme que, para além dos personagens, bem construídas pelos actores, e complexas, como um espelho da própria arquitectura de Gaudi, presente ao longo de toda a história, nos revela uma outra protagonista: a cidade de Barcelona! Algumas das mais fantásticas paisagens, naturais e culturais, deste País vizinho, abrem um apetite voraz por uma nova visita, espero em breve...aos nostros hermanos!

Um filme de verdades e de dilemas, de sonhos e de receios…todo ele humano! Com as questões de sempre, que recoloco insistentemente: Devemo-nos deixar arrebatar por um momento, ainda que este nos transforme, e abale tudo aquilo que já construímos? Ou devemo-nos manter fiéis ao que conhecemos, evitando surpresas, sejam elas boas ou más? O que é que procuramos afinal? Será que algum dia o vamos encontrar?

Todos nos sentimos perdidos a dada altura na vida, sem saber que caminho seguir. A vida não tem, nem nunca vai ter, um sistema de navegação por GPS ligado! Que merda, dava cá um jeitão!
Por isso, a paixão e o amor serão, a meu ver, as grandes forças que nos chibatam: imprevisíveis e movendo-nos em direcções confusas, que talvez só façam sentido no final.

Woody Allen, já autor de tantas obras de referência, que não vou aqui enumerar, fala também das motivações deste filme, em entrevista “Muitas pessoas desejam mais da vida e não sabem exactamente o que é. Elas sabem que têm que haver algo mais na vida, algo mais interessante, mais romântico, mais apaixonante, mais realizador!”.

Pois vou continuar à procura!

O filme acaba e ficamos com a sensação do vinho tinto na boca, humedecendo os nossos lábios, enquanto embalados pela melodia de uma bela guitarra espanhola, à sombra da lua, num terraço qualquer!

2 comentários:

Marl disse...

e viste onde? net? cinema? onde onde? tb quero :(

MLamy disse...

Vi na minha casinha. Graças às maravilhas da web que permite (de forma mais ou menos legal lol) chegar a qualquer cantinho do mundo =)
Não sei quando chega cá ao cinema, mas vale muito a pena!!!!!